18/05/2016

Resenha: O Quarto Dia - Sarah Lotz


Título: O Quarto Dia
Autor(a): Sarah Lotz
Editora: Arqueiro
Ano: 2016
Páginas: 352
Sinopse: Em O Quarto Dia, Sarah Lotz conduz o leitor por uma viagem de réveillon que tinha tudo para ser perfeita. Mas às vezes o novo ano reserva surpresas desagradáveis... Janeiro de 2017. Após cinco dias desaparecido, o navio O Belo Sonhador é encontrado à deriva no golfo do México. Poderia ser só mais um caso de falha de comunicação e pane mecânica... se não fosse por um detalhe: não há uma pessoa viva sequer no cruzeiro. As autoridades acham indícios de uma epidemia de norovírus, mas apenas descobrem os corpos de duas passageiras. Para piorar, todos os registros e gravações de bordo sofreram danos irreparáveis. Como milhares de pessoas podem ter sumido sem deixar rastro? Teorias da conspiração se alastram, mas só há uma certeza: 2.962 passageiros e tripulantes simplesmente desapareceram no mar do Caribe.


Para quem teve a oportunidade de ler Os Três provavelmente se sente com um pé atrás ao iniciar a leitura de O Quarto Dia. Um livro que pode parecer uma sequencia do outro mas que, apesar de se passar no mesmo universo não chega a ser uma continuação, já que este possui outros personagens e se passa alguns anos depois. Felizmente (para alguns) a Sarah Lotz tem uma mão diferente para escrever seus livros. Acho que posso afirmar que ela é o tipo de autora que quer sim confundir seus leitores e também faze-los olhar suas obras de diversas perspectivas, criando até mesmo teorias com o que aconteceu na história. E fazer o que se algumas pessoas, infelizmente, estão apenas acostumadas a ler livros fáceis, com final redondinho e tudo explicado? não, isso não é uma critica ao hábito de leitura de ninguém, mas vamos combinar que só porque você não entendeu o final do livro não significa que ele seja ruim, okay? rs


Eu cheguei a ficar um pouco confusa ao iniciar a leitura e perceber que a linha do tempo usada pela autora é diferente da proposta na sinopse pela editora, então realmente tentar explicar mais ou menos a história acabaria sendo um spoiler para os leitores. Acho que o mais próximo que posso dizer é que iremos saber exatamente o que aconteceu no navio nos dias em que ele ficou desaparecido. E sim, eu digo exatamente, da forma como aconteceu sob a perspectiva de vários personagens. Eu não consegui escolher um favorito durante a narrativa, portanto não vou nem citar nomes no texto. Não achei que todos os personagens escolhidos para protagonizar a história tenham sido realmente interessantes de se acompanhar, mas neste caso pode ser que eu tenha interpretado sua participação de forma errada, já que eu não acredito que informações aleatórias foram inseridas na história. Veja bem, eu sou uma leitora que acredita na escrita da Sarah e que tudo o que ela colocou na obra tenha sido intencional e com um propósito.

E não, não acredito que a Sarah tenha errado a mão na obra e que o final tenha ficado confuso ou algo do tipo. Não acho que a história se perdeu no momento mais importante, muito pelo contrário. É óbvio que a intenção da autora ao escrever a obra foi deixar o final aberto a interpretações, que vai de cada leitor. Então acho que ninguém precisa ter vergonha de dizer que não entendeu e sim pensar um pouco sobre tudo o que a obra te mostrou e criar teorias. Além de tudo o livro cumpre com o que promete no quesito suspense e um pouquiiinho de horror, além de ser uma leitura bem fácil de ser feita. Por mais que seja narrado em terceira pessoa e possua tantos personagens não da para ficar perdido durante a leitura e cada capitulo acaba deixando o leitor mais curioso para o próximo.

O único aspecto realmente negativo desde livro é ver que tantos leitores não gostaram dele por este ter uma proposta diferente e ai acabo que não tenho com quem conversar. A única que me entende é a Sammy e já teorizamos sobre ele praticamente de todas as formas possíveis que agora deve estar na hora de ouvir umas teorias novas. haha! De todo o mais o livro vale muito a pena então se tiver a oportunidade de pegar para ler abra a sua mente e só leia.
— (...) Você não viu nada. Isso foi só o aperitivo. O prato principal vai ferrar com a po**a da sua cabeça.

15 comentários:

  1. Oi Sil!

    Quando vi sua classificação no começo da resenha, até me assustei, pq quando Os Três saiu, li diversas resenhas negativas e confesso que foi por isso que ainda não o li e nem tinha intensão se lê-lo. Depois de ler sua resenha, fiquei curiosa e mesmo com o pé atrás, vou comprar o segundo livro e lê-los para ver se gosto tanto quanto vc!

    Fico feliz de saber que a autora não segue um padrão, tbm gosto de finais que nos deixam mais pensativos e que não são fáceis de engolir!

    Parabéns pela resenha!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. Oi...
    Você vai me odiar por esse comentário, mas, sinceramente eu não tenho vontade de ler esse livro, acho que estou inclusa no grupo de leitores que não curtem a premissa do livro :(
    Mas, enfim, fico feliz que tenha gostado da obra e tomara que encontre muita gente pra comentar positivamente sobre ele.
    Bjo

    ResponderExcluir
  3. Ola tudo bem???
    Simplesmente adorei sua resenha, estou com esse livro aqui em casa para ler e cada vez que leio uma resenha positiva sobre ele, fico mais empolgada para ler :) Apesar de não ter lido ainda Os Três, mas vou dar uma chance a ele de me conquistar.
    Beijus
    Camila Mazzetto
    http://bibliotecaempoeirada.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu fiquei em dúvida se era ou não uma continuação, foi também um dos motivos para eu não ter solicitado, pois não havia lido Três. Bom, sobre ser uma leitura fácil ou difícil, não sei, mas realmente vi algumas resenhas negativas da obra e não eram de pessoas, como você bem citou, que estão acostumadas a ler ‘livros fáceis’, muito pelo contrário. Acho que é uma questão de gosto mesmo. no entanto, apesar de o enredo não ter me conquistado tanto, eu curto bastante esse final resiliente, a decisão ficar mais na mão do leitor.

    ResponderExcluir
  5. Oie, bom, eu não estou acostumada a ler apenas livros fáceis mas confesso que fiquei bem perdida nessa obra, não entendendo onde a autora quis chegar e infelizmente achei várias das informações bem aleatórias, muita narração desnecessária, mas estava com altas expectativas. Não sei se lerei algo dessa autora logo,mas vale a pena dar mais uma chance para ver se quem sabe eu gosto. Que bom ver que você gostou, e essa é a beleza da literatura, saber que um livro só pode ser diferente para vários leitores.

    ResponderExcluir
  6. Oi!!


    Nathália eu gostei muito da sua resenha, ela foi leve direta e sem spoiler, parabéns! Ainda não li o livro Os três e muito menos esse, não que não me cative, mas simplesmente pq esta na moda, mas assim que ele sumir um pouquinho pretendo conhecer a escrita da autora. Convenhamos que todo o enredo é bem atrativo e sim, infelizmente, muitos blogueiros as vezes não conseguem compreender uma obra mais complexa. Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oii

    Eu ainda não tinha ouvido falar desse livro, gostei bastante da resenha e daria sim uma chance a ele, gosto de mistério e fiquei curiosa pra saber o que aconteceu com as pessoas que sumiram.
    Um beijo

    Blog Rascunhos da Lyh

    ResponderExcluir
  8. Oi Sil!

    Adorei sua resenha de O Quarto Dia e acho que você mostrou bem a proposta do livro! Acho realmente uma pena que muitos não dão uma chance ao livro, tanto o costume de querer algo fechado e tintin por tintin, acaba levando a pessoa a não compreender a mensagem do livro, mas diferente do que citaram acima, não acho que a Sarah deixou passagens e dialogos aleatórios, quem lê suspense e terror sabe, que muitas vezes você precisa enxergar/ler e compreender o que está por trás, nunca vai ser algo concreto, como um romance ou uma fantasia, mas enfim, eu adorei o livro e gostei das teorias que conversamos, espero que a Sarah escreva mais, adoro essa autora!

    ResponderExcluir
  9. Olá Sil,
    Eu vi esse livro nos lançamentos e fiquei mega curiosa para ler, por ser suspense/terror. Só que comecei a ler algumas resenhas e brochei! Aí vem você com essa resenha mega sincera que me fez ficar com aquela curiosidade novamente. Acredito que o livro seja meio difícil de se entender, ora pelos personagens ora pela escrita da autora, mas não saber o que esperar no final é o que me instiga a querer lê-lo ainda mais.
    Parabéns pela resenha, eu adorei!
    Beijos,
    www.embarcandonaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Recentemente li um livro que o final foi bem complicado e amei isso, porque foi tão estranho e confuso e bizarro, mas eu gostei que o autor fez isso.....rsrsrs.
    Eu não li Os três, mas esse novo livro (O Quarto) eu fiquei interessada e te entendo quando diz que não pode falar muito dele, porque tem livros que fazem isso com a gente mesmo.
    Eu acho importante a gente tentar entender o que o livro passou, qual foi a mensagem e o que ele pode proporcionar para nós, mesmo que a pessoa não tenha entendido o final, mas sim entender todo o contexto da história.
    Ótima resenha ;)

    Beijos,
    www.leitorasempre.com

    ResponderExcluir
  11. Oi!!
    Eu li Os Três e foi uma sensação de amor e odio, a leitura teve altos e baixos, quando vi que O quarto dia iria ser lançado, me interessei pq mesmo tento esses altos e baixos a escrita da autora me prende...espero poder ler e gostar e logo que tiver lendo te grito pra conversar hahaha
    http://marifriend.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oiii!!!

    Eu ainda não li essa obra e nem mesmo o primeiro dela. Mas tenho na estante.
    Assim, eu já vi várias resenhas conspiratórias onde as pessoas estão dizendo que provavelmente a autora vai lançar mais um livro que conecte os fatos sabe? Pode ser que aconteca.
    Fico feliz em saber que você abriu a mente para a obra! E que foi uma leitura positiva.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  13. Oi Sil sei bem o que você quer dizer com relação ao desenvolvimento da história da autora, quando li O três em nenhum momento cheguei a achar que suas informações foram desnecessárias para o desfecho e concordo com o fato de que ela busca fazer os leitores teoarizarem (essa palavra existe?) e eu gostei disso no primeiro livro, mas a vontade que eu tinha de ler O Quarto da meio que arrefeceu, ainda pretendo ler, mas não mais com tanta pressa. Pelo que percebi ele segue bem a linha de Os três então eu provavelmente vou gostar apesar de me sentir frustrada também kkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  14. Oie! Alguns dias eu li uma resenha da Sammy dizendo quase a mesma coisa, que o livro é maravilhoso e com um final aberto para especulações. Por mais que a angustia e curiosidade em leituras assim, eu preciso confessar que são as que mais gosto, pois fico teorizando por horas. Sei como é duro ficar sem ter com quem debater sobre uma historia e muito pior quando "todos" ao seu redor parecem não ver a grandiosidade do texto. Enfim, eu ainda não li os livros da Lotz, mas fico me roendo de curiosidade. Assim que arrumar um tempo na minha correria do dia a dia vou lê-lo!
    Bjus
    Anna - Letras & Versos

    ResponderExcluir
  15. Má oeee! Tudo supimpa? Não li "O Quarto Dia" e, na verdade, não tinha nem ouvido falar de nenhum dos dois, mas ambos parecem interessantes, espero que surjam mais leitores para que vocês duas possam continuar discutindo o livro. Abraço!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, volte sempre! :)