15/12/2015

Resenha: O Conde de Monte Cristo - Alexandre Dumas

Título: O Conde de Monte Cristo
Autor: Alexandre Dumas
Editora: Círculo do Livro
Ano: 1986
Páginas: 353
Sinopse: Traições, denúncias anônimas, tesouros fabulosos, envenenamentos, vinganças e muito suspense. A trama de O Conde de Monte Cristo traz uma emoção diferente a cada página e talvez isso explique porque a obra do escritor francês Alexandre Dumas se transformou em um clássico da literatura mundial, mexendo com a imaginação dos leitores há mais de 150 anos.






Começo essa resenha dizendo que li o livro a poucos dias e já não lembro o nome de todo mundo. Mas sei que vocês são legais e vão me dar um desconto, afinal, é um livro antigo com vários personagens e nomes diferentes né. Vocês me entendem, por isso que eu amo vocês.

Edmond Dantès era um jovem marinheiro prestes a se casar e que tinha um futuro promissor pela frente, senão fosse a inveja de três homens que ao bolarem um plano, fazem com que Edmond seja preso. Por 14 anos Dantès ficou encarcerado e teria ido a loucura ou desistido da vida se não fosse por seu vizinho de cela, um abade muito culto e inteligente que o ensina tudo que pode e ainda lhe dá um presente: a localização de um enorme tesouro. Numa noite, Dantès consegue fugir da prisão e começa então a colocar em prática seus planos de vingança contra todos aqueles que o prejudicaram no passado. Agora, Edmond Dantès é O Conde de Monte Cristo.

Um livro clássico encantador, é a primeira coisa que me vem a mente ao pensar nessa história. Não encantador por ser tudo lindo e maravilhoso, por achar que há flores e pássaros cantando ao redor, mas encantador por ser extremamente bem pensado, bem escrito e interessantíssimo. E o que mais eu gostei com certeza foi a facilidade pra ler, não foi um daqueles livros que se tornam chatos porque você tem que ler com um, dicionário do lado, foi uma leitura bem rápida até. 

Pra mim, a história de Alexandre Dumas trouxe alguns questionamentos como: até onde podemos interferir na vida das pessoas? A vingança é mesmo necessária? Até que ponto o sofrimento muda o homem? E assim por diante. O Conde de Monte Cristo, ou melhor, Edmond Dantès, é um ótimo personagem para ser analisado profundamente e para nos fazer refletir. Afinal, toda aquela vingança era mesmo necessária? (sim, era, com certeza UHSUAUSHAS).
Apesar de achar que Dantès tem motivos sim para tudo o que faz na história, não deixo de pensar que muitos inocentes são afetados no meio do caminho, tirando um pouco a razão (se é que havia razão nisso) de seus atos. Mas quem sou eu pra falar algo? Não fui eu que fiquei presa por 14 anos injustamente, né. 

Não só Dantès é um personagem analisável, todos os personagens tem sua cota de profundidade e material para psicanálise e se pensarmos em toda história, toda complexidade e ao mesmo tempo simplicidade... Só posso concluir que Alexandre Dumas é uma espécie de gênio. 
Confesso que o final não me agradou tanto quanto poderia agradar, talvez seja culpa do meu lado mais romantizado que esperava alguma outra coisa, mas meu gosto não desmerece o belo final.

E ao chegar ao final dessa resenha só posso pedir pra que todos que não tenham lido o livro deem uma chance a ele. Não se assustem por ser um clássico ou ser antigo, garanto que a leitura vale a pena. E a impressão que fica em mim é de uma profunda inteligencia e astúcia, do autor, do personagem e minha, que no caso, deixou a desejar por não sacar alguma coisas as quais precisei ir pesquisar hahaha. 

5 comentários:

  1. Esse é o clássico que escolhi para ler no ano de 2016! Só esperando a Zahar lançar a edição dela pra rematar hahahaha
    Sua resenha ficou ótima. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Quando eu tinha uns 12 anos, esse era meu livro preferido! HAHAHA Vai entender alguém tão jovem e já apaixonada por clássicos!
    | Sorteio do livro Banksy |
    | FB Page A Bela, não a Fera|

    ResponderExcluir
  3. Oi Nath!

    É... tbm acho que a vingança era sim, necessária! kkkkkkkkk ;)

    Nunca li o livro, mas já assisti ao filme e gostei muito! Adorei sua resenha, espero ter oportunidade de lê-lo um dia!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  4. Este é um dos meus livros preferidos, Depois dele fui procurar mais livros de Dumas para ler. A história é muito interessante e trás bastante reflexão como você mesmo disse. Aconselho você a ver o filme, é lindo com um final mas interessante.
    Abraços
    Gisela
    www.lerparadivertir.com

    ResponderExcluir
  5. Nat!
    Nossa! Que saudade..
    Li exatamente esse livro no ano do lançamento. Era assinante do Círculo do livro e amava os exemplares.
    O livro é maravilhoso!
    “Não esqueça que Natal não é do Papai Noel tão pouco para ganhar presentes materiais, mas é a data que recebemos o melhor presente para nossa existência, Jesus!” (Rogério Stankewski)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista de Dezembro, serão 6 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, volte sempre! :)