21/06/2015

Resenha: O Último Homem do Mundo - Tais Cortez

Título: O Último Homem do Mundo
Autor: Tais Cortez
Editora: LER
Ano: 2014
Páginas: 224
Compre: aqui
Sinopse: Amanda é uma garota rebelde e problemática. Filha de Patrícia Oliveira, uma atriz mundialmente famosa, ela se ressente do comportamento da mãe, que trabalha demais e dedica seu pouco tempo livre para namorar. Depois de ser expulsa dos três últimos colégios, Amanda é matriculada contra sua vontade no Educação de Elite, o colégio interno mais renomado do país, onde apenas os filhos da elite nacional estudam. Determinada a conseguir mais uma expulsão, ela é capaz das maiores loucuras, mas seus planos acabam sendo frustrados por suas colegas de quarto, por uma inspetora intrometida e um diretor paciente. Lá ela também conhece Ricardo, o garoto mais popular e mulherengo do colégio. A atração entre eles é imediata, mas isso não impede que se odeiem ferozmente e que façam de tudo para prejudicar um ao outro. No entanto, o destino os forçará a unirem forças por um bem maior, e Amanda perceberá que, às vezes, o último homem do mundo de sua consciência pode ser justamente aquele que seu coração decide escolher.



Gente, como é difícil fazer a resenha de um livro que eu gosto rs Parece que não encontro palavras pra dizer o que eu senti mas vamos lá.

Amanda é filha de uma atriz super famosa e que vive se metendo em escândalos amorosos e por conta disso não tem tempo pra filha, que acabou se tornando uma adolescente super rebelde que não aceita as decisões da mãe, principalmente a última, que é a menina estudar no Educação de Elite, o melhor colégio do país para jovens da alta classe. Determinada a contrariar sua mãe, Amanda fará de tudo para ser expulsa de mais um colégio, começando com uma briga com uma das alunas de lá. Com isso, Amanda acaba arranjando logo de cara uma inimiga, duas grandes amigas e Ricardo, que é o pé no saco mais lindo e charmoso do colégio. 


- Não se preocupe. Ele é o último homem do mundo que eu quero por perto. - retruquei.

Sinceramente meu resumo da história tá parecendo uma sinopse mas não vou escrever mais do que isso porque eu acho que tudo que eu contar pode estragar o clima. 
O Último Homem do Mundo superou todas as minhas expectativas e me conquistou completamente, como um romance entre adolescentes não me conquistava a muito, muito tempo. 

Vamos começar falando pela escrita da Tais, que é totalmente leve, descontraída e bem real. É como se estivéssemos lendo a história de amigos próximos. Mesmo os personagens sendo da elite - uma realidade bem diferente da minha - Tais os descreve como simples e complicados seres humanos, sem tentar nos ambientar num mundo 100% rico, o que eu achei excelente. A delicadeza e franqueza da narrativa são coisas que nos agradam logo de primeira. 

Os personagens são todos, sem exceções, muito bem construídos e reais. Os conflitos e aprendizados da idade estão presentes a todo momento. Temos a representação de desde o adolescente mais rebelde e revoltado até o mais tímido e comportado.
Confesso que Amanda me irritou no começo do livro, achei-a muito mimizenta mas logo entendi o seu motivo para ser assim e a compreendi totalmente afinal, de que adianta todo dinheiro do mundo sem amor? Principalmente o amor maternal. É complicado e entendo perfeitamente porque ela se comportava da maneira que comportava.
Ricardo, nosso lindo, gostoso e popular carinha é muito mais do que um Ken humano, ele é carinhoso, caridoso, preocupado, romântico, simples... Posso ficar o dia inteiro aqui falando todos os adjetivos pra esse garoto.  Logo de cara da pra perceber que ele e Amanda vão ficar juntos, isso não é segredo pra ninguém mas a maneira que se da isso é tão tipicamente adolescente! Com toda a coisa do "ódio a primeira vista", das implicâncias e guerrinhas, é bem divertido de ler.

Maíra e Paulina, as amigas de Amanda, merecem destaque aqui. São meninas bem diferentes uma da outra mas as duas são pessoas justas e boas, as amigas perfeitas e que me conquistaram assim como conquistaram a Amanda. Deixo meu destaque também para Patrícia, mãe da Amanda. Apesar de termos a visão só da Amanda (o livro é narrado em 1° pessoa) em relação a mãe dela, no decorrer do livro conseguimos ter uma visão dessa mulher que já sofreu bastante na vida e que é tão forte.


Apenas me diga que você ainda me ama, porque eu amo você.

Ler a evolução do romance entre Amanda e Ricardo se dar aos poucos, sair da implicância pro amor foi uma das coisas mais bonitas que há por ser tão simples. Ler a evolução do relacionamento de mãe e filha então, nem se fala. Mas o principal pra mim mesmo foi ler a evolução da Amanda como pessoa. O modo de tratar os outros, o modo de ver a si mesma, o modo como ela enxerga o mundo, tudo mudou e evoluiu no decorrer do livro e foi uma das melhores evoluções que já vi de uma personagem nessa faixa etária, mesmo com sua teimosia final, se não houvesse teimosia não seria uma adolescente. 
O livro compensa também pelas lições que Tais nos dá. Independente da religião que você segue ou no que você acredita, a autora nos da um belo show de humanidade no livro, nos faz parar para refletir no que estamos fazendo por nós mesmo e pelos outros. Durante e após a leitura foi impossível não pensar sobre o quanto eu reclamo e quão pouco sou grata pelas coisas que tenho e pelas coisas que realmente importam. É fácil reclamar quando temos um teto sobre nossas cabeças, comida na cozinha e roupas quentes para vestir não é? Tais nos faz refletir justamente neste ponto, no quanto devemos ser gratos e no quanto podemos ajudar o próximo. São reflexões extremamente simples e extremamente importantes, as quais deixamos de fazer e ter isso neste romance foi muito valioso, em minha opinião.

Enfim, li o livro numa tarde só de tão gostoso que é e ao chegar no final eu queria mais, muito mais. Foi e vai ser difícil eu me despedir da Amanda e do Ricardo. Para os fãs de romance é uma ótima pedida! 

*Livro lido através de um booktour organizado pela autora* 



14 comentários:

  1. Oi, Nath!
    Mesmo não sendo fã de romance ainda assim fiquei com muita vontade de ler, por a escrita da autora ser tão boa e a leitura trazer muitas reflexões.
    Amei a resenha! Bjo <3

    ResponderExcluir
  2. Olá, Nath.
    Já li um outro livro da autora e gostei demasiadamente. Ela sabe como escrever um bom livro.
    Quanto a este, especificamente, não sei se leria pois não é muito meu estilo. Ando correndo de romances ultimamente. haha Mas lerei no futuro, afinal, sei que a autora é muito talentosa.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de junho. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  3. Natyyyyyyyyy do céuuuuuuuu
    Q resenha é essa, menina??
    AMEI AMEI MUITO!
    Amei principalmente pq vc falou mais sobre o q sentiu e suas percepções, contando com detalhes o que achou do enredo, personagens, escrita e as mensagens da história :)
    Fiquei extremamente feliz por ver q vc realmente entendeu TUDO q eu queria passar e q tb tenha refletido sobre suas atitudes.
    Sua resenha me deixou com a sensação de "missão cumprida"rsss
    Enfim, muito obrigada por esse lindo depoimento!
    Bjsss
    e sucesso ao blog!

    ResponderExcluir
  4. Oi. Eu já tinha ouvido falar super bem desse livro e morro de vontade de ler. Você já conhece o Golfinhos e Tubarões? É da mesma autora, quem sabe você não ama também haha
    Você escreve muito bem!
    www.somaisumapaginamae.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oe Nathalinda do meu core

    Tais sabe realmente deixar a narrativa fluida, isso também aconteceu em G&T.
    E fico contente por ter gostado desse romance da autora, pq é um gênero que você não lê muito e mesmo assim deu a chance pra ele :3
    É muito bom quando a personagem principal cresce na narrativa, de 'mimizenta" pra uma personagem mais madura e que bom que a autora trabalhou um pouco a história da mãe, mesmo que no ponto de vista da Amanda, acho que dá a chance da Amanda entender a mãe e o leitor também.

    Beijos Nath <3
    www.livroterapias.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Nossa, o livro realmente deve ser ótimo, porque só vejo elogios.
    Gosto de romances e acho que iria gostar, só vai demorar um pouquinho. Mas estou curiosa para conhecer a narrativa da autora.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Nath!

    Eu tenho muita vontade de ler os livros da Tais! Já li resenhas incríveis de seus livros mas até hoje, não tive oportunidade de ler.

    Adorei sua resenha, fiquei mega curiosa, sério! A capa tbm é linda!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  8. Não sou fã de romances, mas é legal ver uma trama em que você vê toda a construção dos relacionamentos, sejam eles românticos ou entre pais e filhos. Acompanhar o amadurecimento de personalidade também é ótimo. Sem falar nas reflexões que os autores sempre nos deixam. Enfim, creio que seja um bom exemplar pra uma tarde chuvosa.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  9. Oi Nath!
    Você me deixou com muita vontade de ler esse livro!! Mesmo a sinopse não ter me agradado tanto assim.
    Ótima resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Nat!
    Tenho a maior dificuldade também em fazer uma resenha quando gosto muito do livro.
    Sou fã dos romances e quando podem nos trazer um aprendizado para vida, é perfeito!
    Tenho a mania de ficar agradecendo o dia inteiro, por tudo, pelas coisas boas e pelas não tão boas. E acredito que temos de valorizar cada instante de nossa vida, temos tanto quando outros nada tem...
    O livro deve ser ótimo!
    “Dos amores humanos, o menos egoísta, o mais puro e desinteressado é o amor da amizade.”(Cícero)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  11. Não sou muito fã de romances (românticos) mas gosto muito de histórias divertidas e essa parece muito já que os dois protagonistas vivem em pé de guerra rs

    ResponderExcluir
  12. Também não sou muito fã de romances, mas gosto quando eles envolvem o relacionamento com a familia também, não só do casal

    ResponderExcluir
  13. Nath não sei o que dizer, eu ando fugindo de romances adolescentes ultimamente, é raro eu não me irritar profundamente com as protagonistas, mas pelo que li aqui esse é um livro até mesmo diferente, que apesar de retratar adolescentes traz muito mais para o leitor. Não sei se colocaria na minha lista em definitivo, mas você conseguiu me deixar curiosa. Quanto a evolução da personagem a autora parece ter se saído muito bem, bom vou analisar e decidir se vou ler :)

    ResponderExcluir
  14. Fiquei com bastante vontade de ler o livro, parece um romance bem gostoso de se ler, ainda mais sabendo que você leu em uma tarde.
    Gosto quando o livro aborda algo mais, quando nos faz refletir sobre alguma coisa, quando nos deixa uma impressão. Gostei muito desse "q" a mais.

    beijos

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, volte sempre! :)